LUCANO

Em 30 de abril de 65 D.C., morre, em Roma, o poeta Lucano.

Lucan

Nascido em 3 de novembro de 39 D.C., em Corduba (atual Córdoba, na Espanha), na província romana da Hispania Betica, Marcus Annaeus Lucanus era sobrinho do grande filósofo estoico Sêneca, o Jovem, que foi o seu tutor, e neto do retórico, orador e escritor Sêneca, o Velho.

A família de Lucano fazia parte da classe Equestre (2º nível da nobreza romana) e vários dos seus membros se destacaram nas artes literárias.

Assim, Lucano estudou retórica em Atenas e aprendeu filosofia com seu tio,Sêneca.

Durante o reinado de Nero, Lucano se destacou e ficou amigo íntimo do imperador, que era muito afeito à arte em geral. Nero, inclusive, chegou a nomear o poeta para o cargo de Questor, apesar de Lucano ainda não ter a idade mínima exigida para exercer aquela magistratura.

Em 60 D.C, Lucano recebeu um prêmio por declamar os poemas Orpheus e Laudes Neronis, nos jogos quinquenais comemorativos do 5º ano do reinado de Nero. Foi nessa época que Lucano publicou o primeiro dos três livros de seu poema épico Pharsalia ou De Bello Civili, contando a estória da guerra civil entre Júlio César e Pompeu. A esposa de Lucano, Polla Argentaria teria ajudado Lucano a escrever este poema.

A grandeza precipita-se sobre si mesma: esse limite foi imposto pelos deuses ao crescer da prosperidade“.

Contudo, provavelmente devido a inveja que Nero, segundo o relato de Tácito, costumava sentir do talento de vários artistas, ou, de acordo com Suetônio, pelo desinteresse que o imperador passou a demonstrar pela obras do poeta, Lucano e Nero se afastaram. Lucano então escreveu alguns poemas ofensivos a Nero e a publicação de suas obras foi proibida.

De fato, Lucano teria escrito um poema, chamado “De Incendio Urbis” (Do Incêndio da Cidade), descrevendo como “as indescritíveis chamas do criminoso tirano vagaram pelas colinas de Remo“, em uma óbvia alusão aos rumores de que Nero teria sido o responsável pelo grande incêndio de Roma, ocorrido em 64 D.C.

Entretanto, em 65 D.C., Lucano seria implicado na chamada Conspiração Pisoniana, uma trama para derrubar Nero liderada pelo senador Caio Calpúrnio Pisão. Quanto a informação chegou ao imperador, este mandou que o poeta se suicidasse, provavelmente como condição para que a sua esposa (não sabemos se ele tinha filhos) fosse poupada. Consta que Lucano, na esperança de obter perdão, teria incriminado outras pessoas, incluindo a sua mãe, o que nos parece duvidoso, já que ela não foi condenada.

Lucano então, cortou as próprias veias e entrou em uma banheira de água quente, para acelerar a hemorragia. Enquanto sangrava na banheira, Lucano, segundo Tácito, começou a recitar uns versos que, tempos atrás, ele havia composto sobre a morte de um soldado ferido, sendo essas as suas últimas palavras. Lucano tinha apenas 25 anos de idade.

Uma cena semelhante à que foi imortalizada no filme “Quo Vadis“, onde o personagem “Petronius” tem as veias cortadas e morre lentamente em uma banheira, para salvar os seus entes queridos da punição de Nero.

Quo_Vadis_trailer

Sabemos que Polla Argentaria sobreviveu ao marido, pois o poeta Estácio, no dia do aniversário de Lucano, escreveu um poema em sua homenagem, dedicando-o à viúva do poeta, já no reinado de Domiciano (81-96 D.C.).

Lucano escreveu pelo menos quinze obras conhecidas, mas somente o épico Farsália sobreviveu até os nossos dias.

 

 

.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s